DestaquesSanta Catarina

Deputada critica jornalista por divulgar uso de diárias no mesmo dia de lançamento de livro em SC

A deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL) está envolvida em nova polêmica. A parlamentar que ficou conhecida nacionalmente por incentivar alunos a gravarem professores em sala de aula, foi pivô de reportagem do jornal Notícias do Dia, sobre uso de diárias pagas com dinheiro público pela Assembleia Legislativa no mesmo dia em que fazia o lançamento do seu livro “Feminismo: Perversão e Subversão”.

De acordo com o levantamento feito pelo jornalista Altair Magagnin, com base em informações do Portal da Transparencia do Legislativo estadual, é possível constatar que a deputada recebeu o benefício da Alesc alegando estar nas cidades de Chapecó, Criciúma, Fraiburgo, Guaramirim, Itajaí e Itapoá. Nos mesmos dias em que solicitou as diárias, a parlamentar fazia os lançamentos dos livros nas mesmas localidades.

Ana Caroline nega as irregularidades. “Se eu considerasse errado, eu não faria. Até porque não sou petistas, não sou de esquerda para usar dinheiro público muito mal gerenciado”, garantiu. “As diárias não são pagas para o lançamento do livro, mas para agendas nos municípios”, assegurou.

Mas a reação da deputada estadual do PSL não ficou só nessas explicações. Ela se voltou contra os jornalistas e disparou: “Jornalistas são canalhas e têm problemas cognitivos”, disparou. “Estou começando a desconfiar de sua capacidade mental e se você é um jornalista bunda mole ou não”, atacou.

As ofensas provocaram reação de duas entidades representativas da área de comunicação. Tanto a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) quanto a Associação Catarinense de Imprensa (ACI) emitiram nota sobre as falas da legislativo. O Sindicato dos Jornalistas de SC (SJSC) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) também publicaram nota contra a atitude da deputada.

Veja a nota da Acaert

A Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT repudia veementemente a declaração da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo ao jornalista Altair Magagnin, do jornal Notícias do Dia do Grupo RIC, que afirmou: “jornalistas são canalhas” e “têm problemas cognitivos”.

Além das hostilidades proferidas de forma genérica, a deputada também agrediu verbalmente o profissional que realizava a entrevista afirmando: “Estou começando a desconfiar da sua capacidade mental” e “se você é um jornalista bunda mole, ou não”. Em outro trecho, a deputada reconhece a agressão. “Se quiser colocar da minha hostilidade contra o teu jornal ficaria muito satisfeita”.

A reação preocupante da parlamentar aconteceu depois que jornal Notícias do Dia, do Grupo RIC, publicou uma reportagem mostrando que a deputada Ana Caroline Campagnolo teria cobrado diárias da Assembleia Legislativa em dias de lançamento de um livro de sua autoria em diversas cidades de Santa Catarina. Para comprovar a reportagem, o jornal cruzou os dados entre agenda da parlamentar e do Portal da Transparência do Legislativo.

A ACAERT considera grave as agressões verbais sofridas pelo profissional, destaca ainda que os jornalistas têm como missão informar a sociedade sobre os assuntos de interesse público. As afirmações feitas pela parlamentar distorcem o trabalho dos profissionais de comunicação, e mostram desconhecimento do papel da imprensa em um país democrático de direito.

Diretoria ACAERT – Gestão 2017/2019

Veja a nota da ACI

É com grande preocupação que a Associação Catarinense de Imprensa ACI – Casa do Jornalista volta a se manifestar por conta de mais um episódio lamentável envolvendo a deputada Ana Campagnolo e um jornalista a quem ela novamente se dirigiu em tom desrespeitoso. Ao atacar o trabalho do repórter, a parlamentar demonstra desconhecer o papel da imprensa e afronta a todos os profissionais que diariamente exercem seu ofício.

Às vésperas do Dia do Jornalista, a ACI reafirma sua defesa incondicional da profissão, e lembra que servidores públicos são pagos pela sociedade para trabalhar pelo povo. Em vez de faltar com o decoro que a atividade parlamentar exige – o que merece ser investigado pelo próprio Legislativo – a deputada deveria dignar-se a prestar contas e esclarecer as graves denúncias apuradas pelo profissional.

A DIRETORIA

Veja a nota do SJSC e Fenaj

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina e a Federação Nacional dos Jornalistas manifestam solidariedade ao jornalista Altair Magagnin e repudiam veementemente a reação destemperada e desqualificada da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL/SC), que agrediu verbalmente não só o profissional como a categoria em geral.

Questionada pelo colunista sobre o uso de diárias da Assembleia Legislativa de Santa Catarina em dias de lançamento de um livro seu, a parlamentar descambou para agressões genéricas aos jornalistas classificando-os de “canalhas” e afirmando que se questiona se jornalistas “têm problemas cognitivos”.

Além de criticar a postura editorial do jornal Notícias do Dia do Grupo RIC, que segundo ela “publica coisas sem perguntar”, a parlamentar desferiu agressões verbais contra Altair ao manifestar desconfiança “da sua capacidade mental” e, num trecho onde menciona um pronunciamento seu, considera: “se você vai se dar ao trabalho de assistir o problema é seu, daí vai depender de saber se você é um jornalista bunda mole ou não”.

Em outro trecho da entrevista, a deputada transita entre o desprezo e o deboche com relação ao veículo de comunicação: “Se quiser colocar a minha hostilidade contra o teu jornal, ficaria muito satisfeita”.

O áudio com a entrevista publicada no site ndmais está disponível aqui. Nele é perceptível a serenidade e profissionalismo de Altair Magagnin, que, antes de publicar as informações obtidas com o cruzamento de dados da agenda da parlamentar e do Portal da Transparência do Legislativo, cumpriu uma regra básica do jornalismo, a de ouvir o outro lado.

Infelizmente, o profissional teve o desprazer de ouvir e confirmar que a parlamentar se mostra despreparada – e não é a primeira vez – para o convívio com pilares de um processo democrático, como a liberdade de imprensa e o respeito aos jornalistas.

Tal episódio constitui-se num fragoroso ato de cerceamento ao livre exercício da profissão além de flagrante tentativa de intimidação contra o jornalista.  O SJSC e a FENAJ esperam da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Santa Catarina a devida apuração e medidas cabíveis não só sobre as denúncias contidas na matéria, como também quanto ao indecoro da parlamentar.

Diretorias do SJSC e da FENAJ

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar